O periódico DIARIO PORTUGUEZ, RJ, de 20 de janeiro de 1885 anuncia uma crítica negativa ao autor do libreto de A corde na roça e elogios a música de Francisca Gonzaga (Chiquinha Gonzaga). A seguir o trecho final da crítica:

Principe Imperial – Espetáculo variado
Decididamente o Conservatório Dramático anda a acesas.
Corrige e emenda palavras e frases que nada tem de indecentes e no entanto deixa subir a cena no Principe Imperial uma opereta pornográfica, como a Corte na roça, que em nada representa os costumes brasileiros.
A opereta tem frases tão salgadas que não podemos compreender como a polícia ainda não a proibiu.
Se houvesse enredo na opereta diríamos que era bem simples e vulgar.
Um fado com que termina a opereta tem uns quebrados tais que obrigam as famílias a retirarem-se e até mesmo provocam iras do público, de ordinário tão amante desta espécie de dança.
A música é excelente e lamentamos que a peça nao condiga. Contudo não podemos deixar de louvar a sua autora a Sra. D. Francisca Gonzaga, moça muito conhecida pelas suas boas composições musicais.

Fonte: Hemeroteca Digital / Biblioteca Nacional Digital