AUTOR: Rodrigo Cantos Savelli Gomes
Tese (doutorado) – Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas
Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Florianópolis, 2018.

RESUMO: Esta pesquisa consiste em uma Análise do Discurso sobre Chiquinha Gonzaga e sua produção artística com objetivo de examinar como operam os dispositivos de controle e exercício de poder nos discursos sobre a música brasileira. Parto da prerrogativa que os discursos que qualificam a vida e a obra de Chiquinha Gonzaga estão imersos em negociações de gênero, assim como de raça, classe, geração, entre outros marcadores sociais. Sendo assim, problematizo os regimes de conhecimento, situando-os como processos sociais envoltos em relações de poder, hierarquia e ideologias. Aponto neste trabalho como a verdade e a realidade são constituídas discursivamente por visões de mundo e interesses específicos. Discuto não só o que se fala sobre música e o universo musical, mas o que a música pode nos dizer enquanto narrativa, ou seja, a música enquanto texto social, portanto, tomo o discurso musical como um domínio do saber e um lugar de exercício de poder. A postura epistemológica e metodológica desta investigação adotou uma perspectiva interdisciplinar envolvendo Antropologia, Etnomusicologia, Literatura, História, Estudos Culturais e Educação. A maior parte dos discursos sobre Chiquinha Gonzaga e sua arte se situam no domínio das narrativas biográficas . Por esta razão, os discursos foram problematizados pelas noções de escritas de si , biografia , autobiografia e biografema , assim como as distintas concepções que qualificam um autor , um escritor e uma obra . Outro aspecto que se sobressaiu é que a maior parte dos discursos foi produzido por mulheres. Isso colocou em questão uma literatura feminina e uma literatura de mulheres que escrevem sobre mulheres, sobre o universo feminino, sobre feminismos. Além disso, parte da literatura está comprometida com a formação da identidade, transmissão de valores e ideais, com o disciplinamento de condutas, muitas vezes com propósitos pedagógicos. Ao mesmo tempo em que os discursos sobre Chiquinha combatem certas desigualdades e opressões, problematizam paradigmas sociais a ser superados especialmente por focar na trajetória de uma mulher que rompeu com os padrões sociais eles também sustentam aparados ideológicos e teóricos que solidificam estereótipos, naturalizam desigualdades e opressões sob o manto da normalidade e neutralidade. As narrativas biográficas se apresentaram como local privilegiado de produção e reprodução simbólica de sentido, um domínio de produção de verdades, um importante dispositivo de saber-poder imbricado em tensões políticas e epistemológicas.

Abstract : This study consists of a Discourse Analysis about Chiquinha Gonzaga and her artistic production, with the aim of examining the ways in which mechanisms of control and exercise of power operate in discourses about Brazilian music. It is supported on the assumption that the discourses that qualify the life and work of Chiquinha Gonzaga are immersed in negotiations of gender, as well as race, class, and generation, among other social markers. Thus, the study problematizes regimes of knowledge, situating them as social processes involved in relations of power, hierarchy and ideologies, pinpointing how truth and reality are constituted in discourse through world views and specific interests. I discuss not only what is said about music and the musical universe, but also what music can tell us as a narrative, that is, music as social text. Therefore, musical discourse is considered a domain of knowledge and a place for exercising power. The epistemological and methodological standpoint of this study is interdisciplinary, involving Anthropology, Ethnomusicology, Literature, Cultural Studies and Education Studies. Most discourses about Chiquinha Gonzaga and her work are situated in the realm of biographical narratives . They were therefore problematized through notions of self-writing , biography , autobiography , and biographeme , as well as the various conceptions which qualify an author , a writer and a work . Another aspect that surfaced during research is the fact that most of the discourses were produced by women. This has brought to light the matter of female literature and a literature of women who write about women, about the female universe, about feminisms. Furthermore, part of this literature is compromised by the formation of identity, transmission of values and ideals, and the disciplination of behavior, many times for pedagogical purposes. While the discourses about Chiquinha contest certain inequalities and oppressions, problematize social paradigms to be surpassed especially since they focus on the path of a woman that has broken social norms , they also sustain ideological and theoretical apparatuses that solidify stereotypes, and naturalize inequalities and oppressions under the veil of normality and neutrality. Biographical narratives have presented themselves as a privileged place of symbolic production and reproduction of meaning, a domain of production of truths, an important mechanism of power-knowledge imbricated in political and epistemological tensions.

Clique para baixar o PDF